Conselho Federal de Engenharia e Agronomia

Cquote1.svg Burocracia? Cquote2.svg
Engenheiro Civil
Cquote1.svg Burocracia? Cquote2.svg
Engenheiro Cartográfico
Cquote1.svg Burocracia? Cquote2.svg
Engenheiro Agrônomo
Cquote1.svg Burocracia? Cquote2.svg
Agrimensor
Cquote1.svg Burocracia? Cquote2.svg
Geógrafo
Cquote1.svg Burocracia? Cquote2.svg
Geólogo
Cquote1.svg Você quis dizer : "Burocracia?" Cquote2.svg
Google sobre o CREA
Cquote1.svg É tipo o CAU né? Cquote2.svg
Arquiteto querendo se enturmar
Cquote1.svg Na União Soviética o CREA que tira você! Cquote2.svg
Reversal Russa
Cquote1.svg Mostra a carterinha pra visita aqui filho. Cquote2.svg
Mãe de um recém formado toda feliz e iludida achando que o filho não vai virar uber

Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA) é o nome de um lugar de burocratização e corporativismo de engenheiros, agrônomos e alguns geógrafos. As suas instâncias estaduais, que servem apenas para sugar dinheiro público são os Conselhos regionais de Engenharia e Agronomia (CREA) que servem basicamente para porra nenhuma, como se um monte de engravatado pudesse dizer para um camponês no interior de Goiás como ele deve plantar sua soja, ou como um pedreiro deve construir um segundo andar de um barraco.

CriaçãoEditar

Em 1933 depois de fumar um maconhão, os políticos deste célebre puteiro, achando muito pouco os até então 1541826528541 impostos existentes pensaram: "E se a gente pudesse cobrar para as pessoas trabalharem?'. E Assim surgiu o CREA, uma instituição que na teoria era pra checar as atribuições daqueles que DIZEM saber fazer alguma coisa na construção e planejamento civil, que na realidade são só um monte de pedreiro de condomínio que se recusam a sujar as mãos e ficam pagando de intelectuais enquanto, pasmem, fumam maconha.

ConselhosEditar

Ainda não se sabe o que plantar batatas, construir um prédio, dar aulas de geografia e o bambu tem em comum para estarem tudo no mesmo conselho profissional, mas tudo bem, os universitários já nos deram a explicação para o fenômeno, que claramente foi ignorada, repassada e reescrita em grupos de chans aponto de ficar totalmente falacioso e o resultado da pesquisa ser publicado assim:

  • Engenharia - As engenharias e pseudos-engenharias, a geografia entra nessa história de puxadinho da engenharia cartográfica, uma das maiores traições do mundo acadêmico já que a cartografia surge integrada a geografia, na prática, a engenharia cartográfica agiu como um filho que come a mulher do pai, teoricamente geógrafos também podem realizar serviços ambientais, mas na prática quem cursa geografia fuma maconha demais pra querer trabalhar.
  • Agronomia - Quem põe comida na mesa desse país, na teoria existem várias ramificações aqui entre faculdades e tecnólogos, mas na prática do trabalho só existem dois personagens da fazenda, quem tá estralando o chicote e quem tá apanhando.
  • Bambu - Preciso nem responder.