Abrir menu principal

Desciclopédia β

Desentrevistas:Zé Pequeno


Desentrevistas.gif

Este artigo é parte do Desentrevistas, a sua coleção de fofocas informações sobre as pessoas famosas.

Batata desciclo sem texto.PNG
A Desciclopédia possui um artigo sobre Zé Pequeno


Dadin... Zé Pequeno conversando de boa com a gente.

A Desciclopédia, sempre com a obstinação de ir até onde nenhum homem jamais esteve, encheu-se de brios e resolveu desentrevistar um sujeito cabra homi do mundo da bandidagem.

Para obtermos umas palavrinhas de Zé Pequeno, subimos o Complexo do Alemão armados até os dentes e, por precaução, com uma propina de R$ 100.000,00.

Pronto para a desentrevista Dadinho?Editar

Dadinho é o caralho,Meu nome agora é Zé Pequeno, porra!

Tá, me desculpa...Editar

Tá bom! Mais outra dessas e tu vai se fudê, mano. E outra: tu não foi mandado aqui pelo Mané Galinha, foi?

Não. Nem sei de quem se trata.Editar

Então tá.

Bom, vamos começar. Como é sua vida aqui?Editar

Muito boa: mato os concorrentes, tenho uma casa com TV 3D, piscina, como umas putas todo dia e corrompo policiais babacas.

E você não sente nenhum remorso de comercializar drogas?Editar

Droga? Que droga, mano? Droga, só em drogaria. Eu só vendo coisa boa.

(É melhor eu nem mais discutir sobre isso...) Bem, na sua opinião, por que os grandes traficantes ainda relutam em vender crack?Editar

É meio óbvio: pra não perder clientes rapidinho. Mas eu, por exemplo, só dou crack pra quem tem dívida comigo. Não dou mais fumo, não dou mais farinha. Tá devendo? Crack nele! O cara morre logo e fica bem mais barato que mandar chumbo no infeliz.

Nossa, vocês são criativos mesmo. Enfim, o que você acha do Bope?Editar

É tudo viado, principalmente o Capitão Nascimento!

[Ouvem-se sirenes de polícia e tiros.]

Que porra é essa?Editar

Cê tá com escuta, mano! Agora cê vai morrer!

Por favor, NÃAAAAAA!!! BANG! BANG! (de repente se ouve barulhos de tiros e o desreporter cai de repente)Editar

Capitão Nascimento: Dadinho, seu fanfarrão filho da puta!

Zé Pequeno: FUDEU, SIMBORA DAQUI RAPAZES!

Depois disso tudo ficou escuro. Mas por sorte, o nosso repórter acordou uma semana depois em sua casa com a entrevista.