Grande Otelo

Black Badge.jpg Este artigo é negro AFRODESCENDENTE!!

E está na Desciclopédia por causa do sistema de cotas...

Cquote1.svg A escravidão doeu mais nos brancos do que nos negros... Cquote2.svg
Pelo menos foi o que o Bush disse.


Cquote1.svg Você quis dizer: Canarinho da Praça é Nossa Cquote2.svg
Google sobre Grande Otelo

Grande Otelo contracenanando com um ator desconhecido e com a grande puta da tv, Dercy Formol Gonçalves

Grande Otelo, nome artístico de Sebastião Bernardes de Souza Prata (Uberlândia, 18 de outubro de 1889 - Paris, 26 de novembro de 1993) foi um ator, cantor e compositor brasileiro. Pai de Mussum e primo distante de Primo Preto.

Grande artista de cassinos, onde contava piadas "engraçadíssimas", Otelo participou de vários filmes brasileiros de sucesso, inclusive, sua alma pode ser vista em uma câmera bem lenta no filme "Tropa de Elite", ele aparece quando mataram o Baiano. Nos anos 30 e 40, fez uma grande dupla com Oscarito e conheceu Orson Welles, quando este veio filmar algumas coisas sem-sentido para seu filme. Orson considerava Otelo como o maior (sic) ator brasileiro. Sua vida foi trágica: seu pai morreu esfaqueado na saída de um banco. Sua mãe era cachaceira e sua mulher se matou após envenenar seu filho com Coca-Cola.

Na década de 20, ele participou da Companhia Negra de Revistas, onde o maestro era Pixinguinha, e tinha Primo Preto, Jesus Negão e Luther King.

Desde os anos 60, Otelo era contratado da dominadora de cérebros Globo.inc, onde ele fazia sucesso como um carioca que cantava samba e comia as mulheres todos os dias.

Otelo morreu vítima de um ataque do coração quando viajava para Paris para desfilar sua nova marca de roupas, o que não deu certo, pois ele era o único modelo. Um ano depois, seu filho Mussum também morre.